Cobrança de sacolinhas, nunca mais!

sacolinha - nomoreAmigas e amigas, tenho uma boa notícia para você: conseguimos aprovar em definitivo, na Câmara Municipal de São Paulo, o projeto de lei que acaba com a cobrança das sacolinhas nos supermercados.

Foi uma grande vitória para todos nós consumidores.

Nunca engoli as desculpas que inventaram para acabar com a distribuição gratuita de sacolinhas nos supermercados. Não foi o resultado da preocupação com o meio ambiente, mas da ganância de alguns empresários.

Inventaram uma nova fonte de renda: oito centavos aqui, oito centavos ali, no final das contas embolsam bilhões de reais.

Lobbies poderosíssimos agiram antes para fazer aprovar leis e decretos que, no final das contas, prejudicaram o consumidor.

Em qualquer lugar do mundo e mesmo na maior parte das cidades brasileiras, o consumidor recebe a sacolinha porque não tem uma maneira mais prática de levar a mercadoria para casa.

A cobrança pela sacolinha se tornou, na verdade, um novo imposto colocado sobre as costas do povo paulistano, que já recolhe muito para os cofres públicos.

Basta!

Vamos agora ficar atentos e compartilhar esta notícia da aprovação da lei, para que o projeto de lei seja sancionado.

O povo honesto e trabalhador desta nossa cidade merece esta nova lei.

por nelorodolfo

Estação Parque da Juventude do Metrô

foto_carandiru_juventudeMoro na Zona Norte, sou Vereador em São Paulo e Vice-Presidente da Comissão de Política Urbana da Câmara Municipal, e foi nessa condição que recebi em meu gabinete uma comissão de moradores liderada pelo cantor, maestro, compositor e ativista ambiental Malcolm Forest, com um pleito que considero justíssimo: alterar a denominação da Estação Carandiru do Metrô para Estação Parque da Juventude.

Carandiru, nome tirado do vocabulário indígena, é originalmente a denominação de um bairro vizinho à Santana. Seu significado é abelha de carnaúba. Depois de abrigar em seu território por mais de 80 anos uma das maiores cadeias do mundo, com rebeliões de repercussão internacional, Carandiru ganhou um significado muito negativo. Tornou-se sinônimo de ineficiência da administração penitenciária. Ou, para outros, do próprio inferno, como mostrou Hector Babenco em seu famoso filme.

Como vereador e deputado federal, pude dar minha contribuição legislativa para que esta situação mudasse. Depois que o governo do Estado decidiu implodir o presídio, eu consegui o tombamento de uma área verde no local e a alteração de um ponto da lei de zoneamento, para impedir que fossem ali levantados condomínios, como era o desejo de alguns que não têm compromisso com a qualidade de vida da zona norte.

Continuar lendo

por nelorodolfo

Tudo depende de nós

bandeira_frança_marianaSão muitos acontecimentos nos últimos dias  mexendo com o sentimento de cada um de nós, a grande maioria tristes e que nos enche de revolta e desesperança,  mas a humanidade  ainda tem tempo de se redimir. Os atentados em Paris, os ataques suicidas no Líbano, o mar de lama em Mariana, Minas Gerais, fatos que não simplesmente tragédias, pois aconteceram por causa do ódio, da intolerância, da ambição humana.

Penso que devemos sim temer as pessoas más, porém existe um tipo de maldade que devemos temer e combater ainda mais: a indiferença das pessoas boas. Nós não podemos ficar indiferentes diante de tudo isso. Esses atos de terror mostram o pior do ser humano, mas também acabam por trazer o melhor, afinal é nesses momentos que as pessoas esquecem eventuais diferenças e se ajudam, demonstram solidariedade, dizem não ao ódio.

Me tornei político pois acredito que esse é o caminho para melhorar a vida das pessoas. Como vereador e busco diariamente formas de tornar a vida na cidade de São Paulo melhor. Tento realizar ações e elaborar projetos que auxiliem as pessoas em seu cotidiano. Acho que cada um de nós, dentro das suas possibilidades, deve ter em mente que ajudar o próximo  é caminho para combater quem só pensa em fazer o mal, seja  com ações terroristas , seja desviando o dinheiro público que poderia ser utilizado em favor da sociedade.

Eu acredito  que é possível vencer o ódio, que a humanidade tem jeito, mas devemos começar a agir  individualmente, todos nós que somos pessoas de bem, com pequenos atos  do dia a dia, para vencermos aqueles  que só pensam em matar, roubar e destruir. A união da grande maioria que pensa no bem comum pode vencer os maus. É nisso que acredito.

por nelorodolfo

As redes sociais e o mundo real: perdemos a capacidade de viver os bons momentos?

foto_velhinha_sem_celularEu vi no G1 uma foto que me fez pensar no caminho que estamos seguindo, depois que a tecnologia transformou cada um de nós em um repórter. Antes, deixávamos o registro das cenas importantes para quem era profissional, e assim todos tomavam conhecimento dos fatos mais importantes da vida. Hoje, com um celular na mão, cada um de nós pode registrar uma cena e depois postar na rede social. E quem desfruta da cena registrada? Quem vive o momento real?

A foto do G1, com a senhora sorrindo satisfeita com o que vê, enquanto os demais se acotovelam para fazer o registro com o celular, me fez pensar em um quadrinho que vi na Turma da Mônica. Na tira, as pessoas conversam com a cabeça abaixada, de olho na tela do celular e não nos olhos de quem conversa. A pessoa está na sua frente e você olha para o celular, enquanto fala. A comunicação caminha para se tornar totalmente virtual.

E eu me pergunto: onde fica o mundo de verdade, aquele em que as pessoas choram juntas, sorriem abraçadas, batem no ombro com a intenção de dizer: conte comigo? Onde está o mundo onde as pessoas podem dizer, olho no olho, eu amo você, em vez de mandar pelo celular um coraçãozinho vermelho, com flores, carinha sorrindo e outros desenhos?

Nada contra as formas modernas de comunicação, mas será que já não passamos do ponto? Isso vale para as formas de conquista. Antes, as pessoas tinham que se conhecer para depois ter um relacionamento mais íntimo. Agora, pela comunicação direta dos meios virtuais, tudo parece invertido. Primeiro, a pessoa tem um relacionamento íntimo e, depois, em alguns casos, passam a se conhecer.

Alguns podem dizer: isso é conversa de saudosista, de quem está sendo ultrapassado pela modernidade. Pode ser. Mas, na minha vida pessoal, eu não abro mão do celular e de novas tecnologias, mas decidi que, diante de uma cena ou um momento digno de registro, eu vou fazer como a senhora da foto: vou desfrutar, a menos que eu esteja ali como repórter. Nesse caso, eu trabalho e os outros desfrutam.

por nelorodolfo

Menos impostos!!!

foto_votação_painel_iptuNa política, assim como na vida, devemos sempre tomar posição e seguir o que achamos mais justo e melhor para todos. Foi por isso que votei contra o aumento do IPTU na Câmara Municipal, mesmo fazendo parte da base aliada do prefeito Fernando Haddad’. Não posso simplesmente concordar com qualquer coisa sem antes refletir.

O povo não aguenta mais pagar impostos, vivemos uma recessão brutal, portanto, ao meu ver, não é momento de colocar mais tributos nas costas do contribuinte, que diariamente já paga muito por serviços de péssima qualidade, como o fornecimento de água e luz.

Pouco importa se o aumento valeria ‘apenas’ para quem terrenos de 500 metros quadrados no mais, porque o fato da área estar vazia, sem a construção de um imóvel, não significa que o proprietário está especulando. Na verdade, na grande maioria dos casos, a pessoa compra o terreno com o suor do seu trabalho e depois não tem os recursos suficientes para iniciar uma construção, algo absolutamente comum no cotidiano de todo mundo.

Se o imposto para esses proprietários aumentar, aí é que eles não conseguirão construir nada nos terrenos, ou seja, o IPTU maior serviria apenas para engordar os cofres municipais, sem nenhum efeito prático na quantidade de imóveis construídos.

É preciso ter bom senso. Sempre que se falar em aumento de carga tributária me posicionarei de forma contrária, sendo ou não da base aliada. Não aceito onerar no morador de São Paulo, que luta diariamente para colocar a comida na mesa e pagar as sua contas.

A campanha da Jovem Pan, “Brasil, o país dos impostos”, que existe na emissora há anos, é uma das mais esclarecedoras que conheço.  Tudo, mas tudo mesmo, no Brasil é taxado de forma absurda para mover a máquina governamental.  O cidadão paga imposto embutido, para imposto por qualquer serviço público prestado, paga IPTU, paga IPVA, paga ISS, paga ICMS com diferença entre os estados, enfim, paga, paga e paga, mas quando o assunto é receber serviços de qualidade aí o negócio é diferente, com mau atendimento e filas intermináveis.

Não posso concordar com isso.

por nelorodolfo

Tirar saleiros das mesas dos restaurantes ajuda a salvar vidas

saleiro_venenoFoi aprovado em primeira votação na Câmara Municipal o meu projeto que regulamenta o uso de sal nos restaurantes. Fiz o projeto depois de consultar diversos médicos, em especial cardiologistas, que me alertaram que a presença do sal na mesa dos restaurantes é um veneno. A coisa funciona quase no automático: a pessoa vê o saleiro e, mesmo antes de sequer experimentar a comida, coloca mais sal no prato. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que o consumo ideal de sal é de apenas 6 gramas por dia para um adulto. O povo brasileiro consome, em média, 12 gramas por dia, ou seja, o dobro do recomendado.

O perigo do sal em excesso está em aumentar as chances de hipertensão arterial e danos nos rins, que leva ao desenvolvimento de outras doenças, como diabetes, problemas circulatórios e até câncer.

A OMS recomenda em seus estudos que as pessoas não acrescentem sal à refeição depois de pronta, ou seja, que o saleiro ou o sachê de sal não seja utilizado.

Muitas pessoas acreditam que como colocam apenas ‘um pouco’ de sal no prato não estão superando os índices considerados aceitáveis, mas isso é um ledo engano, afinal há sal em grande quantidade nos produtos industrializados, principalmente nos molhos como ketchup e inglês, salsicha, biscoitos, frangos empanados, macarrão instantâneo e muitos outros.

O meu projeto obriga os restaurantes a distribuir os sachês apenas para as pessoas que assim solicitarem, sem a presença deles ou dos saleiros nas mesas, evitando assim o tal do consumo automático. Nos Estado Unidos, muitas cidades já adotaram essa medida e os resultados estão sendo considerados excelentes, com a queda no número de enfartes e derrames.

Uma pesquisa publicada recentemente no New England Journal of Medicine mostrou que o consumo exagerado de sal aumenta a taxa de mortalidade e aponta que diminuindo meia colherzinha de chá por dia, aconteceriam 92 mil mortes a menos por ano somente nos Estados Unidos.

Portanto, essa mudança de hábito que proponho pode fazer toda a diferença entre ter uma vida saudável ou com doenças que podem levar à morte.

Agora o projeto irá à segunda votação e depois para a sanção do prefeito Fernando Haddad, que tenho certeza irá transformá-lo em lei.

por nelorodolfo

Falta pouco para o SAMUVET virar lei

truck-samuvet

Sempre procurei pautar a minha atuação na Câmara Municipal com os olhos voltados para as necessidades da população da maior e mais importante cidade do país. Obviamente, sempre temos algumas áreas onde nossa ação é mais forte e permanente, no meu caso, entre muitas outras, uma das prioridades é o bem-estar animal.

Foi em razão disso que decidi, com a ajuda de diversas entidades de proteção animal, apresentar um projeto de lei criando o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Veterinário para cães e gatos. Originalmente, a sigla do projeto era SAMUV, mas, depois de ouvir a comunidade médica e realizar uma enquete popular, decidi altear o nome para SAMUVET, para que não houvesse confusão com a sigla SAMU.

Após apresenta-lo, busquei apoio junto aos demais vereadores e, principalmente, do prefeito Fernando Haddad, pois como todos sabem sem a sanção do prefeito o projeto, mesmo que aprovado na Câmara Municipal, não se torna lei. Mediante o apoio recebido parti para o trabalho de levá-lo à pauta de votação e por fim aprová-lo.

Novamente obtive resultado positivo e no último dia 8 de setembro o projeto de lei foi aprovado em primeira votação no plenário da Câmara Municipal. Agora é levá-lo novamente a voto e aí sim, cobrar o apoio prometido pelo prefeito para sancioná-lo e em seguida regulamentá-lo. Estou muito otimista que em breve a população de São Paulo terá o SAMUVET à sua disposição.ambulancia-samuvet

Aproveito então para explicar um pouco mais como será a atuação do SAMUVET. Ele foi concebido para funcionar com ônibus equipados para prestarem um serviço como verdadeiros hospitais veterinários, com o auxílio de ambulâncias.

Esses veículos vão circular pelos bairros da cidade, para prestar serviço de vacinação, vermifugação, castração e microchipagem, além de outros atendimentos médicos, e o melhor, tudo de graça e com muita qualidade. Casos complexos serão levados para atendimento em hospital veterinário ou hospital municipal.

Continuar lendo

por nelorodolfo

Água é vida, não fonte de lucro

img_agua_e_vidaDurante nove meses, a CPI da Sabesp, da qual fui relator, ouviu 32 pessoas, entre secretários municipais, um secretário estadual, presidentes e diretores da Sabesp, além de especialistas  em saneamento e ambientalistas de excelente reputação acadêmica. Estudamos o contrato e fizemos diligências.

Ao final, entregamos um relatório de duzentas páginas e 55 sugestões para que a cidade nunca mais passe pelo sofrimento da atual crise hídrica.

Nenhuma das ações da CPI foi tão reveladora quanto as diligências que fizemos em dois extremos da cidade. Estivemos no Jardim Vera Cruz, na Zona Sul, e no Jardim Nova Celino, Jaçanã, Zona Norte.

Na Zona Sul, encontramos um bairro onde os moradores, para terem água, improvisam uma rede com canos que passam pelos postes, ao lado da rede elétrica. Os próprios moradores chamam a gambiarra de ÁguaNet.

Uma situação que cobre de vergonha todos nós, homens públicos. Ao mesmo tempo, a Sabesp mantém no local uma estação de tratamento de esgoto.

Em qualquer lugar do mundo, estação de tratamento de esgoto significa modernidade, respeito ao ambiente, coisa de primeiro mundo. Mas não no Vera Cruz.

Continuar lendo

por nelorodolfo

CPI da Sabesp


CPI SabespRelatório da CPI da Sabesp é aprovado
Foram nove meses de trabalho árduo, mas encerramos a Comissão Parlamentar de Inquérito com a sensação de dever cumprido.  Os objetivos de investigar os motivos da grave crise hídrica e a falta de ação da Sabesp para evitar os transtornos passados pela população com o racionamento de água foram atingidos e 52 sugestões foram apresentadas visando melhorar a qualidade do fornecimento de água na cidade de São Paulo. Agora é cobrar do poder Executivo ações rápidas para que os anseios da população sejam atendidos.
 CPI01
Vereador Nelo Rodolfo: “Prefeitura de São Paulo deve fiscalizar qualidade do serviço oferecido pela Sabesp”
Entre as sugestões apresentadas pelo vereador Nelo Rodolfo, sem dúvida nenhuma, a  mais urgente é a ampliação das competências de uma Autoridade Municipal, transformando-a em Autoridade Reguladora e Fiscalizadora Municipal de Saneamento Básico. Ficou evidente durante a CPI  não ser possível que a Arsesp, que é uma agência estadual regular um prestador também estadual como a Sabesp, comprometendo a independência da fiscalização do serviço apresentado, que tem sido de baixa qualidade. A cidade de São Paulo é responsável por 43 por cento do faturamento da Sabesp, portanto nos parece justo que participe ativamente dessa fiscalização.
NVILANelo quer bônus permanente na conta dos consumidores que reduzirem o consumo de água
A Comissão Parlamentar de Inquérito, por sugestão do vereador Nelo Rodolfo, também concluiu que a Sabesp deve tornar permanente o bônus concedido ao cidadão que reduzir o consumo, incentivando assim a população a consumir menos água, produto cada vez mais escasso no mundo atual. Além disso, tal medida vai incentivar a adoção de sistemas alternativos, como o reuso da água, prática ainda pouco comum no Brasil, mas como resultados expressivos em diversos países do mundo.
Sabesp desperdiça um a cada três litros de captados
A CPI também quer ações da Sabesp para coibir as perdas significativas de água nas tubulações do sistema, que chegam aos números alarmantes de 33%, com obras de modernização e substituição das tubulações muito antigas, a fim de evitar problemas técnicos e interrupções do fornecimento de água. É um absurdo que um a cada três litros de água captados se perca antes de chegar às torneiras dos moradores de São Paulo. Para o vereador Nelo Rodolfo já passou da hora da Sabesp investir mais em São Paulo, afinal grande parte da sua receita sai dos bolsos dos cidadãos paulistanos.
por nelorodolfo

Coronel Marinho, pede para sair ou a Nação Alviverde vai tirar você!

Meus amigos: não quero ficar aqui insistindo para não parecer choro de torcedor ou oportunismo. Mas não vamos nos calar. Agora só se fala em Libertadores, Liga dos Campeões da Europa e daqui a pouco de Campeonato Brasileiro. Se nada fizermos, a vergonha da final do Campeonato Paulista vai cair no esquecimento, e no ano que vem os erros vão se repetir, e o futebol paulista vai perdendo  importância até desaparecer. É preciso analisar a causa desse desprestígio e colocar o dedo na ferida.

Alguma coisa está fora de ordem quando o responsável pela arbitragem é um profissional que, se fosse chamado para debater soluções para a violência das torcidas, eu até entenderia. Mas chefiando árbitros durante tanto tempo? O que está acontecendo?

No dia 18, teremos reunião do Conselho Deliberativo da Sociedade Esportiva Palmeiras, e eu vou levar este tema para discussão. O Palmeiras deve tomar posição, mas esta não é uma causa que interessa apenas ao nosso clube. Deve ser uma campanha mais ampla, pois o resultado interessa a todos.

Quero citar alguns já se apresentaram a esta trincheira: Oiti Cipriani , Paulo Sergio Guglielmo, Jota Roberto, José Ezequiel, Ricardo Leite , Mauro Di Girolamo, Alfredo Marano, Rico Castelhano, César Daglio, Rico Castelhano, Antonio Carlos de Angelo, Isidro Barioni, Tiago Domingos e muitos outros. Amigos, conto com vocês. Juntos, devemos fazer os questionamentos necessários.

Que qualificação tem este senhor para estar neste posto, em que até nota dá para seus subordinados? Um professor tem autoridade para avaliar seus alunos. Mas podemos dizer que o coronel Marinho tem formação para definir os quadros de arbitragem da Federação? Uma amostra de seu despreparo é a nota que ele deu ao juiz Ceretta: 9.

E quem é esse árbitro que apitou a final? Ele atuou em nove jogos durante o campeonato e apenas um clássico. Que serviço prestou? E ainda embolsou 100 mil reais como o melhor juiz do campeonato. Vejam vocês: passamos mais um campeonato sem revelarmos um árbitro e ainda pagamos para sermos prejudicados. Que mundo é esse?

Presidente Reinaldo, o senhor está começando a gestão, numa época em que os brasileiros clamam por mudanças. O senhor tem em suas mãos a oportunidade de ouro de mostrar que é um homem à altura dos desafios do seu tempo e de fazer uma gestão histórica na Federação. Não permaneça no erro. A arbitragem tem que ser chefiada por alguém do ramo, que entenda do assunto. Minha mãe já me dizia: “filho, se você não sabe fazer uma coisa, tente outra.”

O coronel Marinho não é, definitivamente, o nome certo para chefiar a arbitragem. Ele deveria pedir para sair, mas, se não o faz, cabe ao presidente da Federação tomar esta decisão. Pelo bem do futebol, fora coronel Marinho! Presidente Reinaldo, a Nação Alviverde espera uma decisão sua. Eu diria mais: quem ama o futebol espera do senhor o papel de estadista do nosso esporte.

por nelorodolfo